PCS | Plataforma para o Crescimento Sustentável

Think tank que visa contribuir para a afirmação de um modelo de desenvolvimento sustentável, num quadro de ampla participação nacional e internacional

in english

Clima: Um futuro 1.5 ou 5.1

Diálogos: Portugal no futuro

DIA 7 DEZEMBRO 2018

 

 

A PCS promoveu a segunda sessão do ciclo Diálogos 'Portugal no Futuro', sobre o tema 'Clima: Um futuro 1.5 ou 5.1'.

 

Assista ou reveja a esta sessão aqui:

 

 

A conferência do Clima – COP 24 – realiza-se de 3 a 14 de dezembro em Katowice, na Polónia. Em vésperas desta Cimeira altamente relevante vão ser publicados três documentos vitais que nortearão a política nacional rumo a uma economia de baixo carbono:

  • A Comunicação da Comissão Europeia sobre a Estratégia a Longo Prazo da UE para Reduzir as Emissões de Gases com Efeito de Estufa, que refletirá os desafios e as oportunidades da descarbonização.
  • O Plano Nacional de Energia e Clima - Portugal irá submeter a versão preliminar a Bruxelas a 3 de dezembro.
  • O Roteiro nacional para a Neutralidade Carbónica 2050, cuja apresentação se realiza no dia 4 de dezembro.

Não é, portanto, coincidência que num momento tão decisivo para a política climática, a PCS tenha organizado uma sessão dos Diálogos ‘Portugal do Futuro’, para um debate sobre esta matéria.

 

Portugal participa no esforço coletivo de combate às alterações climáticas desde há várias décadas, tendo metas a cumprir no seio da UE, e tendo assumido um objetivo de neutralidade de carbono até 2050.

 

Nesta sessão tivemos a oportunidade de discutir e analisar o teor dos documentos que vão orientar a atuação do país rumo à descarbonização e conhecer o que está previsto nas principais fontes de atuação na redução de gases com efeito de estufa, procurando respostas a perguntas especificas como:

No setor da energia, um dos principais motores da descarbonização, e tendo em conta o Pacote Clima Energia 2030 e o volumoso Pacote Energia Limpa, atualmente em negociação em Bruxelas:

  • Como devem ser remuneradas as tecnologias e assegurado o atingimento das quotas de renováveis?
  • Como garantir que existem interligações adequadas entre a Península Ibérica e França?
  • Quais os incentivos para o repowering das turbinas eólicas num contexto em que a expansão dos parques eólicos está limitado?
  • Qual a visão relativamente à produção descentralizada e democratizada?
  • Quais as soluções inovadoras para o armazenamento de energia?
  • Qual a relevância e urgência da conclusão do Mercado Ibérico de Gás?

Na dimensão dos edifícios, que na UE é responsável por 36% das emissões de CO2:

  • Que soluções há fora do espetro da reabilitação urbana?
  • Qual a melhor forma de diagnosticar e abordar o tema da pobreza energética?

 

No setor dos transportes, o tradicional calcanhar de Aquiles no combate às alterações climáticas:

  • Qual o caminho a seguir, eletrificação, quotas tecnológicas, standards?
  • Que caminhos seguir no sentido de fomentar a utilização de energias alternativas com emissões reduzidas nos transportes?
  • Qual o papel dos veículos pesados?
  • Portugal deve definir um prazo para o phaseout de carros a combustível?

Como a política climática não se faz apenas de mitigação, é importante também não esquecer a importância da adaptação, tema que ganhou relevo desde o Acordo de Paris.

 

Para este debate contamos com o seguinte programa:

Abertura

Jorge Moreira da Silva, Presidente da direção da PCS

 

Mesa Redonda

Nuno Lacasta, Presidente do Conselho Diretivo da APA

Nuno Ribeiro da Silva, Presidente Endesa Portugal

José Manuel Viegas, Consultor Independente

 

Moderação

Joana Balsemão (Coordenadora do Laboratório de Inovação da PCS Crescimento verde e coesão territorial)

 

Com o ciclo Diálogos ‘Portugal no futuro’ a PCS pretende promover de forma regular sessões informais de discussão sob diversos temas, para um grupo restrito de convidados, com o objetivo de contribuir para um debate aberto e informado de propostas que possam potenciar o crescimento de Portugal.

 

Esta sessão decorreu no dia 7 de dezembro 2018, na Lx Factory, em Lisboa.